07/08/13

Os gelados na escola no regresso à escrita
 
Na verdade, não me tenho dedicado ao blog como pretendia, uma vez que o tempo para escrever não tem abundado. No entanto, não deixei de cozinhar e de experimentar novos sabores e combinações. O facto de estarmos no Verão faz com que tenha constantemente vontade de experimentar comidas leves e refrescantes. Talvez por isso, tenho usado boa parte do meu tempo a descobrir novas receitas de gelados. Foi depois de uma prova desses sabores, que me fizeram o convite para ensinar as crianças do Colégio O Sossego da Mamã a preparar estes refrescantes pitéus. Assim, na passada semana tivemos todos uma manhã muito agradável, fazendo gelado de morango, chocolate e Oreo.
 
 

Foi a minha primeira experiência como “professor” e, a julgar pela opinião dos mais pequenos, correu bastante bem. É, por isso, uma iniciativa a repetir e, quem sabe, para fazer também com os mais crescidos.

Aproveito ainda para dizer que tenho gelados de vários sabores disponíveis. Quem estiver interessado pode sempre contactar-me.

15/04/13

Bolo húmido de laranja


As laranjeiras continuam a dar fruta e as que trouxe do Algarve são ainda mais deliciosas. Não sei porquê, já que sou um leigo em agricultura, mas este ano parecem mais doces e sumarentas. Talvez seja essa a origem da minha vontade de fazer 1001 coisas com laranja. A receita que aqui escrevo é mais velha do que eu, pois a minha mãe já a fazia quando era criança. É um daqueles bolos que são sempre bons e que sabem bem a qualquer hora do dia.


Ingredientes para cerca de 12 fatias (tempo total da receita – 5 minutos mais o tempo de forno):

5 ovos;
250g de açúcar;
125g de farinha;
1 colher de chá (mal cheia) de fermento em pó;
1 laranja;
Farinha e margarina para untar.

Liga-se o forno a 180ºC para o pré-aquecimento. De seguida, batem-se os ovos, juntamente com o açúcar até se formar um creme alaranjado. Junta-se a farinha, o fermento e a raspa de laranja e volta-se a bater tudo muito bem. Verte-se a mistura para uma forma untada com margarina e farinha e leva-se ao forno até a massa ficar cozida (espeta-se um palito, se ele vier sem restos de massa agarrados, o bolo está pronto), o que deve durar cerca de 35 minutos. Depois de se desenformar, pica-se o bolo com um palito e espalha-se o sumo da laranja para que este fique bem húmido. 

05/04/13

Esparguete com tomate, cogumelos e manjericão


Como muita gente diz, por vezes as coisas mais simples são as melhores, as mais saborosas. Este esparguete, um género de esparguete à bolonhesa sem carne e com cogumelos, é um bom exemplo dessa teoria. Fica aqui a minha sugestão de um prato bem italiano, com ingredientes omnipresentes na cozinha transalpina.


Ingredientes para 4 pessoas (tempo total da receita – 30 minutos):

300g de esparguete;
8 tomates maduros;
400g de cogumelos frescos laminados;
12 folhas de manjericão
1 cebola grande;
4 dentes de alho;
1 folha de louro;
200ml de vinho branco;
Azeite, sal, pimenta e queijo parmesão q.b.

Começa-se por colocar o esparguete a cozer (deve deitar-se um pouco de sal a mais, já que será, posteriormente, passado por água fria). Enquanto a massa está ao lume pode preparar-se a restante receita. Para tal, picam-se os dentes de alho e a cebola e colocam-se dentro de uma frigideira, juntamente com a folha de louro e um pouco de azeite. Tempera-se tudo com sal e pimenta e deixa-se refogar ligeiramente. Depois, juntam-se os tomates pelados e cortados em pedaços e cozinha-se tudo durante 10 minutos. Acrescenta-se o vinho e reduz-se. Seguidamente, adicionam-se os cogumelos laminados, envolvem-se com os restantes ingredientes e deixa-se cozinhar por mais 7, 8 minutos. Após esse tempo, rectificam-se os temperos e adicionam-se as folhas de manjericão picadas. Para finalizar, junta-se a massa (previamente escorrida e passada por água fria) ao preparado e, já no prato, polvilha-se com um pouco de queijo parmesão ralado.

02/04/13

Amêndoas estaladiças


Na verdade, a Páscoa já lá vai, mas acho que não há data para comer amêndoas. Contudo, a sugestão que aqui apresento é parecida com as típicas amêndoas pascais, aquelas cobertas com açúcar com um jeito meio “tosco”, inspiradas nas que, tipicamente, são comidas na Alemanha. Sempre foram as minhas amêndoas preferidas, apesar de achar que cada vez mais são feitas com açúcar em excesso. Por essa razão decidi confeccionar as minhas próprias amêndoas estaladiças, com doses de açúcar menos generosas.


Ingredientes para cerca de 750g de amêndoas (tempo total da receita – 45 minutos):

400g de amêndoas inteiras;
2 paus de canela;
250g de açúcar,
50g de chocolate negro;
300ml de água.


Liga-se o forno para o pré-aquecimento a 220ºC. Entretanto, junta-se num tacho o açúcar, a água e os paus de canela e coloca-se ao lume até ao ponto de fio. Enquanto a calda está ao lume, torram-se ligeiramente as amêndoas no forno, processo que deve durar cerca de 15, 20 minutos. Quando o açúcar estiver pronto, retiram-se os paus de canela e juntam-se as amêndoas e o chocolate ralado. Envolve-se tudo muito bem e deixa-se cozinhar em lume brando durante cerca de 5, 10 minutos, até que todas as amêndoas fiquem envolvidas em toda a calda. Passado este tempo, retiram-se as amêndoas do tacho e espalham-se por cima da pedra da cozinha para secarem – devem separar-se com uma faca para que sequem em separado.

01/04/13

Couscous à marroquina com frango e vaca


Numa ida de férias a Marrocos estive hospedado em casa de uns locais, que me fizeram provar esta iguaria. Lembro-me de comermos todos do mesmo prato (uns com as mãos e outros com uma colher) e de ter gostado daquela mescla de sabores. Estava tudo bem condimentado e diferente do que comemos em Portugal. Desde então que fiquei com vontade de voltar a comer os couscous. Decidi agora fazer e, apesar de não ter usado o tradicional cordeiro, ficaram com um gosto bem idêntico ao original. Experimentem fazer e verão que viajam um pouco até ao Magrebe.


Ingredientes para 6 pessoas (tempo total da receita – 1 hora e 20 minutos):

500g de carne de vaca para guisar – cortada em cubos;
2 pernas (perna e coxa) de frango partidas em pedaços;
1 cebola grande;
4 dentes de alho;
6 tomates;
1 curgete;
2 cenouras;
1/2 pimento vermelho;
400g de grão cozido;
2 folhas de louro;
1 raminho de salsa;
1 pedaço pequeno de gengibre – cerca de 5g;
200ml de vinho branco;
200ml de água;
400g de couscous;
Azeite, sal, pimenta moída, noz-moscada, canela, cominhos, pimentão e açafrão q.b.

Picam-se os dentes de alho e a cebola para dentro de um tacho e refogam-se ligeiramente com um pouco de azeite e uma folha de louro. De seguida, acrescentam-se os tomates pelados e cortados em pedaços. Cozinha-se durante cerca de 5 minutos, adiciona-se a carne de vaca, o vinho e a água e tempera-se com o sal e as especiarias a gosto. Tapa-se o tacho e coze-se a carne durante cerca de 40 minutos em lume brando – mexe-se de vez em quando e, caso seja necessário, acrescenta-se mais um pouco de água. Passado este tempo, junta-se o frango e a curgete, as cenouras e o pimento cortados em tiras. Quando os legumes estiverem praticamente cozidos, rectificam-se os temperos, junta-se o grão e deixa-se em lume brando durante mais 10 minutos. Entretanto, coloca-se um pouco de água a ferver (servirá para cozer os couscous), juntamente com o ramo de salsa, o gengibre, uma folha de louro e um pouco de sal e azeite. Seguidamente, deitam-se os couscous para dentro de um recipiente e, depois de a água estar fervida, verte-se para cima dos grãos, por forma a cobri-los por completo – a água deve ficar cerca de 1cm acima dos couscous. Tapa-se o recipiente com película aderente durante 10 minutos. Após este período, retira-se a película e, com a ajuda de um garfo, soltam-se um pouco os couscous. Para servir, faz-se uma cama de couscous num prato marroquino (em alternativa pode usar-se uma travessa) e deitam-se os restantes ingredientes por cima.

31/03/13

Arroz doce

A Páscoa é sinónimo de família à mesa a comer o cabrito e os inúmeros doces que enchem a mesa dos portugueses. Para recordar uma das sobremesas mais presentes nas nossas mesas, deixo aqui a receita de um arroz doce muito cremoso. Não tem amêndoas, é verdade, mas é uma boa sugestão para esta quadra. A todos, um boa Páscoa!


Ingredientes para 8 pessoas (tempo total da receita – 45 minutos):

250g de arroz carolino;
1,5l de leite;
500ml de água;
30g de margarina;
1 limão grande;
2 paus de canela;
300g de açúcar;
3 gemas de ovos;
Meia saqueta de pudim flan instantâneo (cerca de 3g);
1 pitada de sal;
Canela em pó q.b.

Inicialmente, coloca-se a água a ferver juntamente com o sal. Junta-se o arroz e a margarina e deixa-se cozer. Quando a água evaporar, adicionam-se os paus de canela, a raspa do limão e leite em quantidade suficiente para tapar o arroz. Vai-se adicionando o leite até o arroz cozer – se for necessário acrescenta-se mais um pouco de leite. Quando o arroz estiver cozido, retiram-se as raspas de limão e os paus de canela, acrescenta-se o açúcar e mexe-se tudo muito bem. Entretanto, num recipiente à parte, juntam-se as gemas, o pudim e uma colher de sopa de açúcar. A este preparado, adiciona-se (muito lentamente) uma concha do creme de leite (da cozedura do arroz) e vai-se mexendo para que o pudim possa cozer. Para finalizar, mistura-se este preparado com o arroz e deixa-se cozer por mais 4, 5 minutos. Retira-se do lume, coloca-se nos recipientes para servir e polvilha-se com canela.

28/03/13

Farfalle de cogumelos e azeitonas com queijo da ilha e cominhos frescos

O tempo tem faltado e por isso não tenho dedicado o tempo que queria a cozinhar e a publicar aquilo que faço. Talvez por isso os cozinhados têm recaído por coisas mais simples e rápidas, ideias para a azáfama do dia-a-dia. Este farfalle é um bom exemplo deste tipo de refeições. Vegetariano e muito saboroso é ideal para quem anda muito atarefado.


Ingredientes para 4 pessoas (tempo total da receita – 30 minutos):

350g de cogumelos frescos;
100g de mistura de azeitonas;
200g de farfalle;
5 dentes de alho;
20g de queijo da ilha;
1 ovo;
150ml de leite;
1 raminho de cominhos frescos;
Noz-moscada, azeite, sal e açafrão q.b.


Coze-se o farfalle. Entretanto, limpam-se os cogumelos e cortam-se ao meio. Salteiam-se os cogumelos com os dentes de alho picados e um pouco de azeite. Depois, acrescentam-se as azeitonas sem caroço e cortadas em pedaços. Quando a massa estiver cozida, escorre-se a água e passa-se por água fria corrente. Depois, junta-se a massa e o preparado de cogumelos e azeitonas e coloca-se em lume brando. Bate-se o ovo, acrescenta-se o leite, o queijo ralado e os cominhos picados e tempera-se com um pouco de noz-moscada, açafrão e sal. Junta-se o molho à massa com cogumelos e azeitonas e deixa-se em lume brando, mexendo bem, durante cerca de 5 minutos.

25/03/13

Lasanha de salmão, requeijão e espinafres

Como fã de cozinha italiana, sou um apaixonado por todo o tipo de massas e a lasanha é uma das minhas preferidas. Para além do sabor, este tipo de prato é sempre fácil de preparar e é ideal para quando temos de cozinhar para amigos, já que tem um alto rendimento e permite-nos estar mais desafogados na altura das conversas e dos “comes-e-bebes”, tão comuns antes da refeição. Foi para um jantar entre amigos que decidi fazer a sugestão que aqui apresento.


Ingredientes para 6 pessoas (tempo total da receita - 30 minutos mais o tempo de marinar o salmão e de forno):

800g de filetes frescos de salmão;
1 molho de espinafres (aproximadamente 400g);
2 requeijões (aproximadamente 500g);
2 limas;
7 dentes de alho;
400g de placas de lasanha;
700ml de leite;
3 colheres de sopa de farinha;
100g de margarina;
15 folhas de manjericão;
100g de queijo da ilha;
Sal, azeite, pimenta moída e noz-moscada q.b.

Começa-se por marinar o salmão, durante cerca de 30 minutos, com o sumo das duas limas, três dentes de alho e um pouco de azeite e pimenta moída. Após este período, picam-se os restantes dentes de alho para uma frigideira antiaderente e colocam-se ao lume, juntamente com um pouco de azeite. Adicionam-se os espinafres e salteiam-se. Depois, retiram-se os espinafres da frigideira e escorre-se a água acumulada. Volta-se a colocar a frigideira ao lume e grelham-se ligeiramente os filetes de salmão. Entretanto, faz-se o bechamel: aquece-se o leite numa panela e deixa-se ferver. Quando este estiver fervido, tempera-se com sal, pimenta e noz-moscada. Depois, numa frigideira, derrete-se a manteiga e envolve-se a farinha (deve estar tudo muito bem envolvido para o molho não ficar com grumos). Seguidamente, junta-se a farinha, a manteiga e o manjericão picado ao leite e mexe-se tudo muito bem até o molho voltar a ferver e engrossar um pouco. Com todos os ingredientes prontos, pode fazer-se a lasanha. Para tal, fazem-se, com a seguinte ordem, várias camadas até esgotar os ingredientes: bechamel, placas, espinafres, salmão, requeijão. Por cima da última camada, que deverá ser de bechamel, polvilha-se o queijo da ilha ralado. Leva-se ao forno (previamente aquecido a 200ºC), durante cerca de 30 minutos, até a lasanha estar pronta.

24/03/13

Sopa de tomate

Continuam os dias de frio e de chuva e com isso lá se mantém a vontade de comer uma sopa bem quentinha. Desta vez a escolha passou por comprar uns tomates bem maduros e fazer esta maravilha, a lembrar o nosso Alentejo. Deixo aqui mais uma sugestão com a esperança de que chegue realmente a Primavera, para que entremos logo no Verão.


Ingredientes para 4 pessoas (tempo total da receita – 30 minutos):

5 tomates maduros;
1 cebola;
150g de abóbora;
3 dentes de alho;
600ml de água;
1 ovo;
1 raminho salsa;
Azeite, sal e pimenta q.b.

Refogam-se numa panela, com um pouco de azeite, os alhos fatiados e a cebola cortada em tiras. Depois, tempera-se o preparado com sal e pimenta, juntam-se os tomates pelados e a abóbora cortada em pequenos cubos e deixa-se cozinhar durante cerca de 10 minutos. Passado esse tempo acrescenta-se a água para acabar de cozer a abóbora. Seguidamente, tritura-se tudo e, em lume brando, deixa-se levantar fervura. Por fim, bate-se o ovo e adiciona-se à sopa, mexendo sempre com um garfo, para que o ovo se espalhe por todo o caldo. Depois de empratar, para dar um sabor mais fresco à sopa, polvilha-se com a salsa picada.

Sugestões:
Em vez de se mexer o ovo e espalhar por toda a sopa, poderá optar-se por escalfar 4 ovos e coloca-los individualmente em cada prato. 

20/03/13

Scones de frango e legumes com requeijão

Tinha aqui umas sobras de frango assado que tinham de ser comidas. Quando estava a pensar no que fazer com eles, passou-me pela cabeça a ideia de fazer uns scones salgados. Se os doces são bons, porque é que os salgados também não serão? Juntei alguns legumes que também tinha no frigorífico e saiu esta receita, um pouco diferente do habitual, mas muito saborosa.


Ingredientes para 8 scones (tempo total da receita – 30 minutos mais o tempo de forno):

150g de frango (grelhado ou cozido);
50g de rabanetes;
80g de couve-roxa;
10g de gengibre;
1 dente de alho;
1 cebola;
200g de farinha de trigo;
100g de farinha de milho;
1 colher de chá de fermento em pó;
150ml de leite;
40g de margarina;
1 ovo;
1 raminho de hortelã;
1 requeijão;
Azeite, pimenta e sal q.b.

Desfia-se o frango (já sem ossos e peles), picam-se grosseiramente os rabanetes e a couve-roxa e reservam-se. Seguidamente, pica-se a cebola e os alhos e colocam-se, juntamente com o gengibre (muito bem picado), dentro de uma frigideira com um pouco de azeite. Refoga-se durante cerca de 5 minutos e junta-se o preparado de frango e legumes. Tempera-se com sal e deixa-se ao lume por mais 5 minutos. Entretanto, liga-se o forno para o pré-aquecimento a 200ºC. Em seguida, coloca-se a mistura preparada, as farinhas, o fermento, o leite, a margarina derretida, o ovo, a hortelã picada e uma pitada de sal num recipiente e, com a ajuda da batedeira, envolve-se tudo muito bem. De seguida estende-se uma folha de papel vegetal sobre a grelha do forno e dispõem-se pequenas bolas da massa preparada. Depois, leva-se o tabuleiro ao forno durante aproximadamente 45 minutos - o tempo de cozedura pode variar consoante o forno, por isso aconselho a que se vá dando uma olhadela aos scones, que estarão prontos quando estiverem dourados. Por fim, para empratar, abrem-se os scones ao meio, dispõem-se o requeijão e tempera-se com um pouco de pimenta.

Sugestões:

Servi os scones apenas como complemento a uma sopa, mas eles podem ser comidos como uma refeição normal. Para tal, sugiro que sejam acompanhados com uma salada fresca de legumes variados.

19/03/13

Favas à portuguesa, por Alice Baptista


É sempre bom quando temos uma mãe que cozinha como um chef e que nos pode ensinar alguns truques para aplicarmos na nossa cozinha. Por vezes sabe ainda melhor quando ela nos prepara aquele prato bem tradicional com um sabor que nos enche as medidas. É o caso destas favas à portuguesa.




Ingredientes para 6 pessoas (tempo total da receita – 1 hora e 30 minutos):

800g de favas;
700g de entrecosto cortado aos pedaços;
300g de entremeada cortada aos pedaços;
1 chouriço de carne;
1 chouriço mouro;
1 cebola grande;
2 dentes de alho;
1 folha de louro;
1 molho de coentros;
180ml de vinho branco;
Colorau, azeite e sal q.b.

Refoga-se, em azeite, a cebola com os alhos picados e o louro. Junta-se o entrecosto, a entremeada e o chouriço de carne cortado às fatias e tempera-se com um pouco de colorau. Envolve-se tudo, junta-se o vinho e deixa-se cozer. Quando as carnes estiverem quase cozidas, deitam-se as favas e o chouriço mouro também fatiado – se for necessário acrescenta-se um pouco de água. Quando as favas estiverem cozidas, junta-se o molho de coentros, rectifica-se o sal e, em lume brando, deixa-se apurar por mais 5 minutos.

Sugestão:

Para acompanhar sugere-se uma salada de tomate e alface com coentros, bem ao jeito português.

18/03/13

Arroz de bacalhau

Creio que já deu para perceber que sou um apaixonado por arroz. É, por isso, um prato que gosto de fazer com alguma regularidade. O arroz de bacalhau é mais um bom exemplo de uma forma de fazer este arroz utilizando aquilo que o nosso mar nos dá de melhor, o peixe. Fica assim mais uma sugestão bem típica das terras de Camões.



Ingredientes para 6 pessoas (tempo total da receita – 45 minutos):

4 postas de bacalhau;
1 cebola;
3 dentes de alho;
4 tomates maduros;
1 folha de louro;
400g de arroz agulha;
1 molho de coentros;
1l de água;
Azeite, sal e piripiri q.b.


Cortam-se as postas de bacalhau em pedaços pequenos. Escalfa-se o bacalhau (coloca-se a água a aquecer e quando começar a ferver junta-se o bacalhau. Deixa-se levantar fervura novamente e retira-se o tacho do lume) e reserva-se, juntamente com a água de cozedura. Entretanto, pica-se a cebola e os dentes de alho e colocam-se dentro de um tacho com o louro e um pouco de azeite e sal. Deixa-se refogar um pouco e juntam-se os tomates pelados e cortados em pedaços. Cozinham-se durante cerca de 10 minutos e adiciona-se o arroz. Acrescenta-se a água de cozer o bacalhau (no final, se for necessário, junta-se mais um pouco) e o piripiri e deixa-se cozinhar. Quando o arroz estiver praticamente cozido, adiciona-se o bacalhau e depois os coentros picados. Rectificam-se os temperos e serve-se o arroz ainda com alguma água.

17/03/13

Pipocas doces com amêndoas

Mais um domingo chuvoso e um pouco frio. Ideal para a tarde de cinema com o balde de pipocas na mão. Por isso, deixo aqui uma sugestão para fazerem umas pipocas doces e estaladiças, ideias para acompanhar a tarde “Hollywoodesca”. A todos, bons pitéus e bons filmes!



Ingredientes para 6 pessoas e 2 filmes (tempo total da receita – 20 minutos):

200g de milho seco;
80g de amêndoas;
70g de açúcar mascavado;
Óleo, açúcar em pó e canela q.b.

Cobre-se o fundo de um tacho largo com óleo e espalha-se o milho e as amêndoas (cortadas em pedaços) por cima. Polvilha-se tudo com o açúcar mascavado e coloca-se em lume brando. Vai-se agitando o tacho, para que o açúcar não queime, até as pipocas estarem prontas. Por fim, antes de se ligar a televisão, deitam-se as pipocas para um recipiente e polvilham-se, a gosto, com canela e açúcar em pó.

16/03/13

Espetadas de aves com morcela e abacaxi

Sou um fã de espetadas, sejam elas de peixe ou de carne. Talvez por isso, é um dos pratos que como com mais regularidade. Nesta sugestão que aqui apresento juntei à carne de aves (peru e frango) uma das combinações que mais aprecio, morcela e abacaxi. Fica dada a ideia para grelharem uma espetada um pouco diferente do habitual.


Ingredientes para 4 pessoas (tempo total da receita – 5 minutos mais o tempo de grelha):

4 bifes de peru;
4 bifes de frango;
1 morcela de arroz (aproximadamente 200g);
1/4 de abacaxi (aproximadamente 400g);
20g de manteiga;
Sumo de 1 limão;
6 folhas de hortelã;
1 raminho de salsa;
3 colheres de sopa de azeite;
Sal q.b.


Cortam-se os bifes em pedaços pequenos e reservam-se. Entretanto, corta-se também a morcela em rodelas e o abacaxi em pedaços com espessura de um dedo. De seguida, preparam-se as espetadas (até esgotar todos os ingredientes) da forma que pretendermos – optei por intercalar os bifes com a morcela e o abacaxi. Por fim, grelham-se as espetadas, tendo em atenção que os bifes quando estão muito grelhados podem ficar secos. Enquanto as espetadas estão ao lume, pode preparar-se o molho. Para tal, derrete-se a manteiga e junta-se o sumo de limão, o azeite, as folhas de hortelã e a salsa picada e tempera-se com sal a gosto.
Já viram bem este concurso? É o sonho de qualquer um. Por isso não deixem de ajudar esta minha amiga a ganhar. Votem nela, para ver se é ela a feliz contemplada. Vão ver que ela merece!
Vejam o vídeo no link abaixo. Fantástico!

Biggest, Baddest Bucket List - Diana Nicolau

13/03/13

Atum com batatas e ovo cozido

Por vezes existem sugestões que, por tão simples que são, podem não ser consideradas receitas. No entanto, acho que este atum com batatas e ovo cozido merece ser considerado uma receita pela sua simplicidade e sabor. É um prato ideal para se fazer quando temos falta de tempo e quando as ideias escasseiam.


Ingredientes para 4 pessoas (tempo total da receita – 30 minutos):

3 latas de atum (360g) – utilizei atum ao natural;
8 batatas médias;
4 ovos;
1 raminho de salsa;
Azeite, sal e pimenta q.b.

Cozem-se as batatas e os ovos. Entretanto, pica-se a salsa e retira-se o atum das latas para escorrer o líquido. Para finalizar, juntam-se as batatas, os ovos e o atum, polvilha-se com a salsa picada e tempera-se com azeite e pimenta. 

12/03/13

Dicas para a cozinha

Hoje decidi publicar algo diferente, que creio fazer falta inúmeras vezes, principalmente quando consultamos receitas de outros. Neste sentido, deixo aqui a minha ajuda para facilitar os vossos momentos culinários. Devo referir que recorri a algumas páginas para vos disponibilizar estas dicas: Vaqueiro, Arte e Cozinha e Receitas dos 4cantos.


            Pesos e medidas:

Medida
Equivalências
Líquidos
1 chávena
200ml ou 13 colheres de sopa
1 cálice
50ml ou 3 colheres de sopa
1 colher de sopa
15ml
1 colher de sobremesa
10ml
1 colher de chá
3ml
Sólidos
1 chávena de arroz
180g
1 chávena de farinha
180g
1 chávena de margarina
180g
1 colher de sopa de açúcar
10g
1 colher de sopa de água
15g
1 colher de sopa de leite
15g
1 colher de sopa de arroz
15g
1 colher de sopa  de farinha
7g
1 colher de sopa de maisena
7g
1 colher de sopa de sal
15g
1 colher de sopa de margarinha
15g
1 colher de sopa de óleo
12g


            Temperaturas de forno:

Forno brando
125ºC - 175ºC
Forno médio
175ºC - 200ºC
Forno quente
200ºC - 230ºC
Forno muito quente
230ºC - 275ºC


            Pontos de açúcar:

Pérola
Ao levantar a colher, forma-se um fio resistente
Fio
Molham-se dois dedos e quando se afastam deve formar-se um fio sem grande resistência
Estrada
Quando se passa a colher forma-se uma pequena estrada, sem resíduos
Assoprado
Envolve-se uma escumadeira em calda de açúcar. Se ao soprar se formarem bolhas, atinge-se o ponto assoprado
Rebuçado
Quando se deita calda de açúcar em água fria, forma-se imediatamente uma bola consistente, mas moldável
Espadana
Retira-se, com uma escumadeira, calda de açúcar e esta deve cair pelos buracos em fio
Pasta
Quando se retira a calda com uma escumadeira, forma-se uma camada fina de açúcar e não escorre nada pelos buracos
Caramelo
A calda deve ficar dourada e com o odor do caramelo


Nota:
De referir que uma chávena corresponde a uma xícara (definição em português do Brasil).

11/03/13

Açorda alentejana de bacalhau

Açorda e migas – dois nomes para três ou quatro pratos diferentes. É isto que eu digo sempre que me vêm com a conversa de que a açorda verdadeira é esta ou aquela – muito típico nos alentejanos. Prefiro arranjar mais um nome e chamar a este género de sopa, uma açorda alentejana. Desta vez, levou bacalhau e ficou muito saborosa. Bom apetite!



Ingredientes para 4 pessoas (tempo total da receita – 30 minutos):

2 postas de bacalhau;
1 dente de alho;
1 ramo de coentros;
4 fatias grandes de pão alentejano;
5 ovos;
Sal, azeite e pimenta moída q.b.


Coloca-se o bacalhau a cozer. Entretanto, picam-se os coentros e o alho para dentro de uma terrina, esmaga-se tudo com o pilão e reserva-se. Depois do bacalhau estar cozido, retira-se do tacho e deixa-se arrefecer. Quando a água do tacho voltar a ferver, juntam-se 4 ovos (devem ser colocados em locais distintos do tacho para não pegarem) e deixa-se ao lume até ficarem escalfados (o tempo depende do gosto de cada um – eu prefiro que a gema não fique totalmente cozida). Seguidamente, retiram-se os ovos da água e reservam-se. Por fim, bate-se o outro ovo, deita-se na água e mexe-se muito bem. Rectifica-se o sal, verte-se o caldo para dentro da terrina e adiciona-se o bacalhau desfiado e sem espinhas. Para servir, coloca-se uma fatia de pão dentro do prato com um ovo escalfado por cima, deita-se o caldo e tempera-se com pimenta e um fio de azeite.